27 setembro 2007

Vulcão dos Capelinhos: "Nasceu" há 50 anos!

"Passados tantos anos, Capelinhos ainda se pode considerar único no mundo das Ciências Vulcanológicas nomeadamente por ter sido fotografado, observado, estudado e interpretado desde o respectivo início (cerca da 7h da manhã do dia 27.Set.1957) até ao "adormecimento", em calma tarde de 24 de Outubro de 1958. Tais condições resultaram da proximidade à ilha do Faial, a um peculiar eng. residente local chamado Frederico Machado (Director dos Serviços Distritais de Obras Públicas) e da equipa que ele constitui quer ao longo do período de actividade quer nos anos dos processos erosivos."
(...)
Na madrugada do dia 27, com a terra balançando continuadamente, os "vigias da baleia" do Costado da Nau, a escassos metros acima do Farol dos Capelinhos, notaram o oceano revolto a meia milha da costa, para os lados de oeste. Assustados, desceram ao farol, alertaram os faroleiros e os seus companheiros de baleação, no porto do Comprido. Não era baleia, nem cachalote nem outro bicho qualquer – o mar entrava em ebulição...
(...)
Às 7 horas o oceano já "fumegava" abundantemente e às 8 horas surgiram as primeiras cinzas (...) Horas mais tarde apareceram outras 3 chaminés, num total de 4. Ao fim do dia havia uma coluna de vapor com mais de 4 Km de altura, visível de todas as ilhas centrais.
(...)
Em início de Outubro as cinzas (tipo areias e pó com alguns blocos intermitentes de basalto) eram tão volumosas que se gerou uma ilhota...
(...)
Em Novembro a ilhota ligou-se aos antigos ilhéus dos Capelinhos (restos de erupção idêntica mais antiga) e daí surgiu um istmo até à ilha do Faial, prolongando-a.
(...)
No dia 24 de Outubro de 1958, sem aviso prévio, ocorreram as derradeiras explosões strombolianas, de bagacinas avermelhadas. No dia 25 iniciou-se o processo de desgasificação, de arrefecimento e de erosão que perdura até aos tempos actuais.
"
texto de Victor Hugo Forjaz (Vulcanólogo da Universidade dos Açores e do Observatório Vulcanológico e Geotérmico dos Açores)
Veja também o filme, fabuloso, que conta a história do farol e do vulcão dos Capelinhos.

12 comentários:

Laurus nobilis disse...

O filme está incrível!

Anónimo disse...

Este "bébé" demorou 13meses a adormecer!Agora durante quanto tempo irá dormir?JC.

navegante disse...

50 anos é uma bonita data! No entanto, esperemos que o adormecimento perdure ainda por muito e muito tempo...

garina do mar disse...

esperemos que sim! vê-se cada coisa no Etna e no Pacífico...
mas este sítio é lindo! é espectacular o contraste entre a cor muito escura da terra (cinzas) e das pedras, o azul do mar e o verdinho da relva ali à volta

acho que é hoje que anunciam o resultado do concurso de fotografia! mas eu não concorri ;(

viriato disse...

Só a Mãe Terra saberá, para quando, um novo acordar...

nautilus disse...

Por aquilo que sei, o vulcão dos Capelinhos só está mesmo a dormir. Poderá acordar em qualquer altura.

Eugénio disse...

5 anos mais novo que eu.... e eu não adormeci :)
Ainda me lembro, vagamente mas lembro-me dos crescidos comentarem "o inferno que se passava nos Açores"

garina do mar disse...

não adormeceste? mas estás quase??
pelo menos a avaliar pelo movimento das "Imagens com Água"...
;) ;)

BLUE MOON I disse...

Maravilha, apesar de ser quase sempre tragico; E é uma pena não se poder " empacotar" tanta energia......
Tenho umas fofografias algures de um fenómeno identico, com uns viajantes a passar de veleiro próximos da erupção.... Vou ver se as encontro.

garina do mar disse...

nos Açores já se aproveita, há bastantes anos até, a energia geotérmica!
esta assim é destrutiva, é como a das ondas: só compensa aproveitar a gerada pela ondulação, nos sítios onde a onda rebenta os equipamentos e as instalações têm que ser tão resistentes que não é rentável

Anónimo disse...

Shshshshshsh!!!!! Ele pode acordar.JC.

garina do mar disse...

;)