22 outubro 2006

Voltamos até à EN 222, continuando em direcção a São João da Pesqueira, para pouco antes de entrarmos na vila bem arranjada e florida, desviarmos de novo em direcção ao rio e barragem da Valeira. Ao fim de meia dúzia de quilómetros surge à nossa direita o miradouro de São Salvador do Mundo:
a vista do alto do monte sobre o rio e a estação e cais da Ferradosa, compensa a subida a pé, seguindo as capelinhas da via sacra.
E chegamos ao fim deste passeio, continuando a descer até à barragem da Valeira que,
não tão importante como a destruição do cachão da Valeira, foi também um contributo para a navegabilidade do Douro.
Voltarei a este tema.

6 comentários:

garina do mar disse...

eu nesta parte ajudo-te! tenho muitas coisas sobre a navegabilidade do Douro nos meus arquivos de engenheira hidráulica e dos estudos dos portos... gostava de um dia fazer o passeio do Douro desde a foz até pelo menos Barca de Alva... mas fiz de comboio entre o Pinhão e o Pocinho! tirando estar cheio de túneis vai-se mesmo à beira do rio!

nautilus disse...

E passeaste pelo Douro Internacional. Não foi lá que tiraste aquelas fotos das águias que puseste aqui em Setembro?

Quanto à navegabilidade fica combinado. Fazemos um "roteiro" em conjunto. Tu pões a "história" das barragens e portos e eu dou umas dicas de passeios.

garina do mar disse...

Foi lá foi. Num passeio muito giro na albufeira de Miranda, no que deveria chamar-se Parque Natural das Arribas do Douro (os espanhóis aqui ganharam-nos, Douro Internacional é mesmo de quem não tem imaginação!!!)
e ganharam também porque o barco é espanhol! daqueles com motor eléctrico que não polui nem faz barulho...
mas aí o passeio era para ver búteos!, não para ver paisagem...

Anónimo disse...

Não sei quem vai consultar esta mensagem, mas nem tudo que parece é: Pois o barco de Miranda não funciona por electrões, mas sim com gasoleo agricola (ilegal. Quanto à esperteza dos espanhois não é bem assim, foi Júlio Meirinho que entregou aquilo de "mão beijada" a quem sabia gerir. O nosso Douro tem coisas mais bonitas, mas o que é estrangeiro é sempre melhor...

garina do mar disse...

senhor anónimo... ninguém falou em esperteza dos espanhóis!!!
eles "ganharam-nos" porque puseram um nome bonito ao Parque e não sem qualquer imaginação como o nosso...
quanto ao barco, não tenho dúvidas nenhumas que é bem gerido! e que é perfeitamente legal!!

garina do mar disse...

e também não tenho dúvidas nenhumas que o nosso Douro é lindo!!! neste blogue mostrámos já muitas das suas maravilhas...
e nunca falámos do lado espanhol!