31 outubro 2006

Samhain

É o início do ano celta, já que o começo dos dias é celebrado através do anoitecer. Este, começa efectivamente com o pôr-do-sol do dia 31 de Outubro e é a festa mais importante do calendário, pois confina com dois mundos e com dois anos: ela é o momento privilegiado em que o mundo humano comunica com o mundo paralelo - sid , visto não pertencer nem ao ano que termina, nem ao que começa. É ao mesmo tempo, uma recapitulação do Verão - sam, e o início do Inverno. O ritual é conhecido como a Noite dos Ancestrais e, devido ao véu entre os mundos estar muito fino, esta é uma boa noite para divinações. É marcada por grandes festins que lembram e imitam os do Outro Mundo, tendo sido cristianizada pelo Dia de Todos os Santos e pela Festa dos Mortos, chamado Halloween nos países de língua inglesa.

12 comentários:

garina do mar disse...

Bom Ano!! (não sei dizer isto em celta, mas vou descobrir...)

mas atrasaste-te! o pôr do sol foi às 17h38!!

Laurus nobilis disse...

estas coisas modernas nunca funcionam a horas... quando os raios do Sol diminuem a sua intensidaded ao cair da tarde, é que é o momento de nos prepararmos para mais um dia...

garina do mar disse...

Bloavezh mat!

Laurus nobilis disse...

para ti também!

garina do mar disse...

(aquele era em bretão...)

Em gaélico:
"Bliadhna mhath ùr duit"

Mas esta é muito bonita:
"Na h-uile la gu math duit" (possam todos os teus dias ser bons)

morgane the fairy disse...

Floresta e água.
Árvores, trepadeiras, musgos, líquenes, que respiram a água, a que cai da chuva, a que brota da terra, a que corre lá em baixo... E esta água vive, corre, canta, vibra no caminho que escolheu, por entre as pedras e o musgo e as raízes das árvores.
A imagem representa bem o espírito celta.

Na h-uile la gu math duit

Laurus nobilis disse...

para os celtas, a floresta é um santuário... as árvores são o elo de ligação entre a terra e o céu; por outro lado, a água é considerada uma fonte de vida, um meio de purificação e um centro de regeneração; por sua vez, a terra simboliza a função materna: ela dá e retira vida!

garina do mar disse...

escreves umas coisas estranhas laurus... bonitas (tirando essa da terra que retira vida... prefiro a água fonte de vida!!), mas estranhas...

percebo que se associe a floresta e a água e mesmo a terra ao ano que começa... mas acho que os rituais e os grandes festins lhe retiram toda a magia!

e por outro lado, para mim o Outro Mundo é o Mar.. um além-mar aonde não se chega... mas também um fundo do mar que é magico e onde a magia nos deixa (vi)ver um pouco para além do véu...

Laurus nobilis disse...

para mim, o mar é e será sempre sagrado! nem consigo estar muito tempo afastado dele... mas, se a seguir aos penhascos, vier uma qualquer serra, revestida com uma floresta, de preferência de carvalhos, então o cenário é perfeito! sabes que foram os romanos que destruiram os carvalhos da Lusitânia?

garina do mar disse...

pois.. deve ter sido o tal do Décimo Bruto!!! eu já disse que não gosto dos romanos!!
oh morgana!!! cada vez que se fala em celtas ou magia apareces logo por aí! quando é que trazes o merlin?
mas fizeste-me lembrar de uma coisa.. era com as maçãs de avalon que se festejava o início do ano?

nautilus disse...

Interessante. O texto e a foto.

Pena não ter sabido mais cedo que o início do ano era ao pôr do sol, talvez o tivesse celebrado condignamente, não num festim (está descansada Miúda) mas possivelmente a ver o sol a pôr-se no mar, na sua passagem para o outro lado.

Mas a imagem mostra algo de parecido: os troncos das árvores, as folhas, a água em cascata, os taludes, a própria luz e a perspectiva da foto parece que definem um "poço" (no sentido hidráulico do termo), um núcleo central para onde tudo converge, como se apontasse um caminho, talvez para a passagem entre os dois mundos.

E parece-me a mim que estas passagens não têm, nem podem ser as mesmas para todos (alguns provavelmente nunca as saberão encontrar): a Miúda encontra-a no fundo do mar, nalguma parede colorida, ou será no azul profundo? o Laurus Nobilis talvez junto a algum penhasco, num mar cheio de peixes numa praia alcantilada à beira da floresta?

Mas esta imagem e esta data fizeram-me lembrar um sítio onde estive à não muito tempo. Onde o rio, a floresta e o espírito celta se misturam. Talvez logo, tenha tempo para vos mostrar. Senão, até ao final da semana. Prometo.

Bliadhna mhath ùr duit

s.o.s. disse...

bem hajam por me terem ensinado!!!do coraccaao