25 outubro 2006

Ilha de S. Miguel (IV)

No vale das furnas encontram-se as mais espectaculares manifestações de vulcanismo secundário do arquipélago, com fumarolas, nascentes termais e nascentes minero-medicinais. Tudo isto, rodeado de montanhas cobertas com um arvoredo cerrado. Espectacular, lindo e único!

18 comentários:

morgane the fairy disse...

Mágico!

as duas imagens de cima, fazem-me lembrar o caminho de avalon, com toda uma aura de magia e mistério...

desfeito na imagem de baixo!

Anónimo disse...

A mim é como à minha irmã... fazem-me lembrar do belo cozido das furnas...
(isto para dizer que ESTIVE AQUI).

Passei por cá há uma hora, hora e meia, deixei um comentário, mas não ficou, pois o Blogger estava em manutennção).

panoramix o druída disse...

tal qual o meu amigo obélix! só pensam em comida!

não sabem apreciar a beleza

Laurus nobilis disse...

Opiniões... de vez em quando, acontece que os mistérios e a magia acabam em algo mais simples e vulgar do que inicialmente imaginamos. Penso que foi este o caso...

Laurus nobilis disse...

Por outro lado, a última foto, pode ser uma espécie de poço de iniciação... ou não?

nautilus disse...

Ilha de mistérios e de contrastes:

do verde que se dilui em vapor,

da lama com reflexos de ouro

e do prosaico de umas pedras que guardam uma caldeira fumegante.

morgane the fairy disse...

a magia não se inicia!

está ou não está...

nautilus disse...

Que atropelos! Interessantes. De visões partilhadas...

Onde bastaria a ordem das fotos ser inversa para trazer uma outra interpretação. Em que talvez a caldeira se transformasse num caminho para a magia.

Mas voltando à terra: a foto do meio é verdadeiramente bonita!

Laurus nobilis disse...

Por quem me tomas? A iniciação é nos mistérios... não na magia! Mas, mesmo esta, tem que se aprender a usar para que não saia sem controle; caso isso aconteça, pode ser deveras perigoso...

morgane the fairy disse...

Terá o nautilus razão? do "espectacular, lindo e único" ao prosaico de um aviso...
contrastes e mistérios!

talvez a magia que invoco não seja a mesma de que falas:
a minha sente-se, vive-se, não se usa...

Anónimo disse...

aqui...está um sapato que é meu!...disseram-me que não andasse de qualquer maneira e sobretudo não fosse ver de perto onde a terra borbulhava...mas eu vi terra a "ferver" e fui anadando...valeu-me o pé esquerdo dar um bom pé de apoio, porque o direito foi pela lama muito quente abaixo e tive a sorte de deixar lá em baixo o sapato e só ficar com uma ligeira queimadura porque tirei o pé depressa...tivesse caído...não estaria aqui a contar esta história...o que seria bom para todos...assim temos que me aturar...lugar na minha lista dos locais inexistentes...

garina do mar disse...

Obrigada anónimo! deita-se uma pessoa mais cedo e quando volta está isto cheio de conversa difícil!!
magia... mistérios... iniciáticos... ainda a pior de todas é a do "vulcanismo secundário"!!! o que é isso?

Ainda por cima vêm para aí os druídas mais uma que julga que é fada! isso existe?
a única morgane que conheço é uma prima minha celta da bretanha, a marie morgane que não é lá muito simpática!!! parece que enfeitiça os marinheiros e leva-os para o fundo do mar!!! ou então põe-se a brincar com eles e provoca tempestades ou calmarias para os assustar ou eles demorarem muito tempo a chegar a casa...

mas é isso sailor girl! o laurus perde-se nas belezas e nas poesias e esquece-se de dizer que o cozido daqui até que é fixe... sobretudo quando dá para pedir a tempo para trocarem o inhame por batata doce...

Laurus nobilis disse...

têm razão... também comi um cozido e estava delicioso. O sabor que fica é realmente bom e, já agora, concordo com essa teoria de trocar o inhame por batata doce! como é que eles gostam daquilo...?

garina do mar disse...

é verdade oh morgane! esqueci-me de te dizer uma coisa... isto são coisas de homens (lá por onde tu andas não deves saber muito bem o que é esta espécie..) mas é assim, de vez em quando lembram-se que há coisas bonitas e mostram-te umas fumarolas e umas florestas... ou o pôr do sol no mar... mas depois lembram-se que têm que ser terra a terra, ou prosaicos como diz o nautilus, e então pespegam com uma caldeira ou vão ver se a terra está mesmo quente e perdem o sapato como o tal de anónimo... no meio da confusão esquecem-se da verdadeira componente prática e não falam do cozido!!!
e olha lá, como é que está o Merlin? tem-lo visto? esse até que é um fulano engraçado, meio feiticeiro, meio sábio... ele ainda tem aquele chapéu muita comprido com umas estrelinhas com que às vezes aparece nos livros?

garina do mar disse...

tás a ver! até te ensino umas coisas... quem é esquisito com as comidas descobre uns truques para melhorar as receitas... Magias ;)

s.o.s. disse...

o sapato era meu...e o que aconteceu sucedeu a seguir ao cozido comido numa das casinhas de...chaa!

garina do mar disse...

Se for Lapsang Souchong até liga bem... é chá "fumado".. parece que era o que bebiam os fulanos das caravanas que desbravavam a América! sempre o associei a lareiras e petiscos...
mas a origem é chinesa e não faço ideia porque é que os chineses o inventaram...

nautilus disse...

Isto tem estado animado. Voltaste cheio de energia Laurus nobilis.
E agora até com direito a lições de culinária. Não te conhecia o jeito Garina do mar