09 fevereiro 2007

D. Fernando II e Glória (1)

A Fragata “D. Fernando II e Glória” foi construída em Damão e lançada à água em 22 de Outubro de 1843. Estava preparada para receber 60 bocas de fogo e a sua guarnição variava entre 145 e 379 homens. Durante 33 anos fez a ligação entre o Continente e os territórios portugueses na Índia, cumpriu missões ao longo da Costa de Moçambique e teve um importante papel como navio-chefe de uma força naval que recuperou o Ambriz, em Angola. Em 1963, um violento incêndio destruiu o navio em grande parte, tendo permanecido encalhado no rio Tejo até 1992, data em que foi posto a flutuar, removido e posteriormente transportado para Aveiro.Restaurada, a “D. Fernando” é actualmente um navio museu, sendo o último navio exclusivamente à vela da Marinha Portuguesa.

19 comentários:

nautilus disse...

É um navio muito bonito. E ficava bem melhor na zona da EXPO do que encafuado na doca de Alcântara

Laurus nobilis disse...

Concordo! Aliás, estas fotografias foram tiradas durante a EXPO 98.

garina do mar disse...

as fotos ficaram lindas... parecem um regresso ao passado, cheias de mastros!!!
não me lembro nada de ver a D. Fernando e Glória na Expo... lembro-me de a ver encalhada ali para as bandas do Alfeite/Seixal e depois já na doca do espanhol

Anónimo disse...

Não está em Alcantara está a apodrecer no Alfeite. Parece que há a ideia de a por em Cacilhas na antiga parry e son no dia de são nunca à tarde. A CMLisboa de João Soares a Carmona esteve se marimbando para a fragata D. Fernado....

garina do mar disse...

oh sr anonymous há uma coisa que não percebo... o que é que a câmara de Lisboa tem ou pode ter a ver com a fragata? não é a câmara que manda no rio nem nas margens.. é o porto de Lisboa que faz o que quer e muito bem lhe apetece quer as margens tenham "interesse portuário" ou não!!

Anónimo disse...

As camaras da Moita do Seixal e do Barreiro recuperaram os barcos tradicionais do Tejo ( fragatas, varinos etc) a CML tinha obrigação de ter cuidado, como vai fazer a de Almada da Fragata D Fernando. Como bem disse o MSTavares ela era do património de todos os lisboetas.
Aliás a CML também esteve se cagando para a Regata dos Veleiros, ao invés de Cadis por exemplo.
O porto de Lisboa não tem nada a ver com isto. De resto a doca da marinha está às moscas....A fragata podia estar lá...

garina do mar disse...

agradeço que modere a linguagem! que eu saiba a câmara de Lisboa também não manda na doca da Marinha
e não sei porque é que a D. Fernando há-de ser património dos lisboetas! espero bem que seja património de todos os Portugueses e que seja bem tratada onde quer que a coloquem!!!! se for em Almada óptimo... se for em Viana do Castelo, no Algarve, na Madeira ou nos Açores óptimo na mesma!!!!

Anónimo disse...

É património dos lisboetas porque está em Lisboa há mais de 150 anos. Porque é que fala do que não percebe? Não gosta da minha linguagem não me leia. A Camara Lenta de Lisboa só tem capacidade para a a vigarice...

garina do mar disse...

coitado... posso fazer melhor do que não o ler, posso apagá-lo!!!
e certamente não estamos a falar da mesma coisa... a D. Fernando que eu conheço e que está nas fotos é um navio e por isso "não está"! NAVEGA! Não foi construída em Lisboa, não foi reparada em Lisboa... porque carga de água é que haveria de ser dos lisboetas? ele há cada um...

nautilus disse...

Tens razão Miúda! Mas parece que ainda há quem ache que o País é só Lisboa. Senhor anónimo, está convidado a visitar o Milhas Náuticas para ficar a conhecer um pouco mais do nosso Portugal.

A VER NAVIOS disse...

A "D.FERNANDO" é património nacional. Esteja onde estiver, mas desde que dentro de Portugal,
está bem. Só peço é que ainda vão a tempo de ela estar em condições de ser recuperada.
É o oitavo navio mais antigo do mundo e é português. Olá!

garina do mar disse...

Boa! estava a ver que ninguém me ajudava a defender a D. Fernando e Glória...
e se já foi recuperada uma vez há-de ser outra (ou outras) com certeza...

Laurus nobilis disse...

claro que é partimónio de Portugal! aliás, foi construída num Portugal bem distante de Lisboa, na Índia Portuguesa!

Carlos Vardasca disse...

É só para vos dizer que fui ex-aluno da Fragata no ano de 1963, e que recentemente criei um blog para que nós antigos ex-alunos possamos contactar e trocar impressões. Quem sabe, nascerá aqui um movimento para que voltemos a realizar os encontros de confraternização há muito abandonados.
Carlos Vardasca
(ex-aluno Bráz)
http://fragatadfernandoIIegloria.blogspot.com

Carlos Vardasca disse...

Cá estou eu do novo. Após a recupareção da Fragata, e embalados com esse entusiasmo, ainda se realizou um encontro/almoço de antigos Fragatas no Seixal, mas tudo morreu por ali. Penso eu!
Apenas estive 3 dias na Fragata pois deu-se logo o incêncio em 3 de Julho de 1963, e ficámos todos nós órfãos daquela nau que era a nossa casa.
Que dizem da ideia de começarmos os contactos e tentarmos realizar um encontro de confraternização de antigos aluno?
Se esta ideia tiver a vossa aceitação, contem comigo.

Carlos Vardasca
(ex-aluno Braz)

Carlos Vardasca disse...

Desculpem-me mas o endereço do blog não ia correcto.
Aqui vai já com as devidas correcções:
http://fragatadfernando2egloria.blogspot.com

Um abraço amigo
Carlos Vardasca

Carlos Vardasca disse...

Queria rectificar a data do incêncio da Fragata D.Fernando II e Glória.
Foi no dia 03 de Abril e não em Julho.
Continuo a aguardar o contacto de ex-alunos daquela instituição.

Carlos Vardasca
17 de Setembro de 2007

nautilus disse...

Fica o recado, para quem aparecer por aqui. Mas nenhum de nós tem qualquer ligação à Fragata, a não ser considerá-la um navio muito bonito.

Anónimo disse...

Ei pessoal desculpem me estar a meter, ate porque poucas vezes ando pela net, e foi com agrado que me cruzei com este blog, só gostava de referir que um barco foi feito para navegar. Que não se deixem apodrecer até porque são história, vejam o Cutty Sark, que já foi nosso, o HMS Victory, a nossa primeira sagres, nais tarde Santo André e vendido posteriormente, o Santissima Trinidade (Espanhol), entre muitos outros que arranjaram solução...
Que não se deixe a nossa história só em papel...
Comentado por mim...