18 julho 2007

A propósito da Regata de Moliceiros...

in "Terras Portuguesas" VII - Beira Litoral, publicação da SHELL Portuguesa SARL

12 comentários:

Laurus nobilis disse...

Este, está mesmo carregado de moliço... Os maiores sucessos ao evento!

garina do mar disse...

até à borda!!
que livro é este?

Laurus nobilis disse...

Não é um livro, mas sim vários, onde se fazem referências a todas as províncias de Portugal Continental e Arquipélagos da Madeira e Açores. Todos publicados pela SHELL Portuguesa, que já não existe...

garina do mar disse...

mas publicados há quantos anos?

Laurus nobilis disse...

Não sei bem, não têm data... mas já me disseram que foi pelos finais dos anos 50.

nautilus disse...

Bonitas fotografias.

Mas parece que precisamos aqui de uma ajuda do nosso amigo "A Ver Navios". Qual será o significado desta vela (se é que é uma vela?) tão levantada?

Amigo A Ver Navios? Sem querer interferir na sua linha editorial, era bem interessante se o "Nós e o Mar" fizesse uma série sobre moliceiros? Ainda por cima já começou com o anúncio da regata :)

Lembro-me de em tempos ver por lá uma discussão muito interessante sobre "tostas" ou "tostes", já não me lembro qual era o nome (a Miúda deve saber).

Mas é só uma sugestão.

joao veiga disse...

Aconselho falar com a Drª Ana Maria Lopes e/ou com o Dr. Diamantino Dias. Ambos respondem com gosto e sabedoria a todas as questões tecnicas e culturais sobre os moliceiros.
Ambos tem obras publicadas sobre o tema e ambos fazem o favor de ser meus amigos.
Off record dou vos os contactos deles.

garina do mar disse...

era mais giro se o A Ver Navios (ou quiçá o João Veiga!!) fizessem uma "reportagem"... era uma maneira de se divulgar estas coisas

falar com eles, dá para falar.. o meu amigo Marque da Silva também fala muito da Drª Ana Maria Lopes... mas assim só nós é que ficamos a saber

A VER NAVIOS disse...

Não consigo ver toda a vela. Não a sei identificar.
Os moliceiros usavam e usam dois tipos de velas. A "Grande" com pouco vento e o "Traquete", curioso o nome, não é?, vela mais pequena quando o vento sopra rijo.
O João Veiga tem razão. Para mim a pessoa mais conhecedora de moliceiros é sra. dra. Ana Maria Lopes.
Peço desculpa, mas quanto ao sr. Diamantino Dias não me pronúncio, pois não o conheço e nunca ouvi falar. O joão sabe bem o que diz, ninguem tenha dúvidas.

A VER NAVIOS disse...

Diz o velho ditado " As galinhas apressadas têm os filhos carecas". Se calhar a minha mãe foi apressada porque estou completamente careca:):):):)
Tenham calma, não sejam apressados, a reportagem irá aparecer. Riiisoooos!!!

garina do mar disse...

óh A Ver Navios!
nós aqui não temos pressa... isto quem anda no mar, à vela que é como é giro, tem que andar ao sabor do vento e da corrente...

era só uma sugestão de rumo ;) mas já se sabe que a bordo quem manda é o timoneiro!!

A VER NAVIOS disse...

Garina do Mar:
Tem razão.
A motor vamos para onde queremos, nem sempre bem assim, porque muitas vezes temos de fazer jeito ao mar e à corrente de água.
À vela temos de fazer a navegação conforme o vento ORDENA. ELE é "SOBERANO". Chegar, havemos de o conseguir. Chegaremos a Bom Porto, mas o ETA é imprevisível. A Natureza é quem mais ordena!