05 dezembro 2006

"qui voit Sein voit sa fin"

Um ditado popular que ilustra os perigos que rondam a ilha de Sein na Bretanha. A começar pelo "raz de Sein", passagem que separa a ilha de terra e onde se encontra uma das mais fortes correntes de maré do mundo (6 nós em águas vivas)! parece que quando o vento está contra a corrente não é fácil...
Aqui tivemos sorte, estava quase "navegação de senhoritas".
Em primeiro plano aparece o farol de Le Chat, que assinala o rochedo do mesmo nome, bem temido pelos marinheiros.

12 comentários:

morgane the fairy disse...

A Bretanha é um mundo. Mágico. Uma ponte entre os dois mundos. Que se encontra nos rochedos que cobrem e descobrem com as marés, nas florestas que tamisam os raios de sol e logo em seguida se enchem de brumas, nas ilhas que se fazem difíceis de alcançar, nos promontórios que escondem pequenos povoados, nos níveis de marés, nas correntes, nos ventos agrestes...

Laurus nobilis disse...

Morgane the fairy, por acaso já leste um livro chamado "Bretagne - Terre Celtique...", com fotografias do Yvon Boelle? Um verdadeiro roteiro mágico...!

morgane the fairy disse...

Mágico... com imagens maravilhosas. Tal como o "Pays Celtes": um bom retrato do meu mundo

garina do mar disse...

morgana, em tua honra vou criar um tema Bretanha... e vou pondo fotos de quando andei a passear por estas tuas terras! que tens razão, são lindas!

mas os faróis acho que têm origem nas Flores, pelo menos o farol do albarnaz é por lá!

Laurus nobilis disse...

Também tenho esse...verdadeiramente, um limbo entre os dois mundos!

garina do mar disse...

Podias pôr aqui a referência desses livros! Gostava de os conhecer...

Laurus nobilis disse...

O primeiro é da VILO: Collection - memoires des peuples, cujos autores são Thierry Jigourel e Yvon Boelle. O segundo, da autoria de Claudine Glot, Yvon Boelle e Hervé Glot, é publicado pelas "Éditions Ouest-France. Não consigo dizer qual dos dois é melhor pois são ambos fabulosos. Belíssima ideia essa de criar um capítulo - Bretanha.

garina do mar disse...

pois... mas só eu é que tenho fotos de lá! tu nunca lá estiveste, nem o nautilus, acho!
morgana não nos queres mandar umas fotos?

estava a referir-me a pôres a capa dos livros como já fizeste com outros...

morgane the fairy disse...

Obrigada pelo capítulo da Bretanha. Já me passeei por St Malo e recordei tempos idos. E sempre acreditei na influência da lua e do sol sobre as marés e que na Mancha se degladiavam para ver qual deles teria mais poder.

Quanto às fotos depois se verá. Quero primeiro ver a tua Bretanha

nautilus disse...

Que lindo pôr do sol! É sempre emocionante ver o sol pôr-se quando estamos no mar. Fica-se sempre com uma sensação de que vamos entrar no desconhecido.

E de facto não conheço a Bretanha. É uma falha reconheço. Só o sul da Grande. Que também tem lugares mágicos. Se os livros são assim tão bons era boa ideia pôres aqui a referência Laurus. E se calhar algumas fotos (desde que refiras a fonte).

Hoje ia pôr mais um "capítulo" das Ideias para Portugal. Mas ainda não acabei os trabalhos que tinha para fazer, hoje foi só mesmo passar por aqui para ver se havia novidades. Não és só tu que trabalhas Miúda!

garina do mar disse...

é bem feita para veres o que custa passar fins de semana e noites a despachar trabalho porque os outros se atrasaram!!!
mas é bom lembrares para pôr a fonte... eu ponho sempre, excepto quando as fotos são nossas claro! mas há aí uns blogs que publicam fotos minhas e não dizem nada... uma coisa são as pessoas das canoas a quem ofereci as fotos, e com muito gosto até, o problema são os que abusam...

garina do mar disse...

Lembrei-me de uma história quando passei por aqui.. nós eramos 3 a trazer o barco, mas quando vinhamos neste sítio cruza connosco outro veleiro, de maneira que como esta zona tem fama de ser complicada e era eu que vinha ao leme mandei-os para dentro para os do outro barco julgarem que eu vinha sózinha... a grande marinheira! mas foi uma viagem gira...
um dia destes conto o susto que apanhei e a fita que fiz também numa das vezes em que fazia quarto!