03 setembro 2006

Castro de São Lourenço (em Esposende)

Há uns anos atrás, num passeio em Esposende, dei com o castro de São Lourenço.
Numa localização fabulosa, na arriba que domina a foz do Cávado e com vista para um troço de litoral que vai de Viana à Póvoa de Varzim, estava a ser “recuperado” pela Câmara Municipal.
Recentemente voltei lá. Tinham “reconstruído” algumas das casas e colocado painéis explicativos sobre os vários núcleos. A Câmara de Esposende de vez em quando promove aqui umas "festas" com teatro e animação alusivos à época.
Mas é um sítio interessante. Um bocadinho da nossa história, de quando Portugal ainda não era Portugal mas onde já se desenhava aquilo que viria a ser. E sobretudo revelador da força e independência dos povos que aqui habitavam.

11 comentários:

s.o.s. disse...

um dia vou fazer-me seu convidado e abusando mesmo vou ver este mundo que eu desconhecia e que de facto nos fez Portugal.

nautilus disse...

É de facto um mundo interessante, mas muito pouco divulgado. Existem coisas muito estudadas, com imensa informação mas tudo numa base de investigação histórica e sobretudo muito individual (feudal mesmo). Cada câmara, cada centro de investigação trabalha a sua informação e eventualmente divulga-a mas em congressos específicos.

Fazia falta uma espécie de um roteiro que juntasse isto tudo, até porque estes castros acabavam por estar interligados, ou cooperando entre eles ou guerreando-se entre eles. Sei que está a ser preparada uma candidatura dos Castros do Noroeste Peninsular a Património da Humanidade o que já é um bom começo, mas não faço ideia em que ponto isso está.

garina do mar disse...

vês... eu bem te digo que tens que ser tu a fazer o roteiro!

s.o.s. disse...

ela tem razão...quem quer faz quem não quer manda...

garina do mar disse...

isso aprendi com o meu bisavô, num texto dele que estava num dos meus livros de leitura da primária...

s.o.s. disse...

tal e qual como eu

Laurus nobilis disse...

Já alguém leu João Aguiar? É dos autores contemporâneos, um dos que mais gosto. Para quem queira vislumbrar alguns dos contornos mais remotos desta nossa nação, aconselho vivamente a sua leitura. É estranho que a par dos nossos ilustres, o nome de Viriato raramente apareça. Que eu saiba, a única alusão que existe a ele em Lisboa, está umas dezenas de metros acima do chão, numa estátua, precisamente no arco da Rua Augusta, no Terreiro do Paço. Estranho... Noutro qualquer canto desta Europa, ele seria um verdadeiro herói nacional e reconhecido oficialmente como tal. Em Portugal, não!

nautilus disse...

A questão é que eu não tenho qualquer competência para fazer um roteiro desses. Posso fazer o que faço aqui: selecciono umas fotografias, escrevo um mini-texto alusivo e a seguir remeto para informação complementar se a houver.

Do João Aguiar conheço dois livros, uma Deusa na Bruma que ilustra muito bem o que poderia ser a vida na Cividade de Terroso (não ias fazer o guião de adaptação ao cinema, Laurus? o que vale é que vontade de fazer coisas não nos falta!) e a Voz dos Deuses que conta a história do Viriato, e que fala de um sítio que um dias destes vou pôr aqui também. Acho qualquer dos livros muito bom, e com um bom levantamento por trás.

Sobre o Viriato tens razão, tirando a zona da Serra da Estrela e de Viseu (onde tenho dúvidas que ele alguma vez tenha estado), não há praticamente nada alusivo a este herói. E a grande verdade é que ele atrasou bastante a chegada dos Romanos ao que é agora o nosso território.

s.o.s. disse...

Viriato foi apunhalado pelos romanos quando estava, de costas viradas para a europa, a contemplar o Oceano Atlãntico

Laurus nobilis disse...

neste momento não tenho tempo, nem computador... mas que dava um guião bastante bom, não tenho dúvidas! pode ser que um dia me ajudes e, do meio das brumas, surja um qualquer escrito inspirado pela Deusa...

garina do mar disse...

eu dou uma ajuda... posso? o nautilus faz os roteiros dele e eu ajudo-te com isto! quer dizer... não percebo nada de guiões mas como noutra vida andei por aquela zona, posso dar-te umas dicas...