15 novembro 2007

"Le Beaujolais nouveau est arrivé!"

Esta frase apareceu escrita hoje em inúmeros restaurantes, cafés, tascas, ...
Não só na região do Beaujolais, mas em toda a França, especialmente em Paris e noutros países do Mundo, para onde este vinho é exportado com pompa e circunstância.
O que está por trás deste fenómeno? Não é certamente a qualidade do vinho: em França há-os bem melhores e ainda por cima trata-se de vinho novo, ou seja com tudo para provar.
À partida, é sobretudo uma enorme campanha de marketing que promovendo um vinho, promove uma região e um país.


Não haverá em Portugal uma região que se abalance a uma iniciativa deste género?

16 comentários:

O´Fartura disse...

Un sa�do:
A SINGRADURA DA RELINGA outorga-te un boleto de participaci�n no Sorteo da Amizade Galego-Portuguesa.
Podes conseguir m�is boletos facendo comentarios nos restantes blogues promotores da iniciativa.
Sorte���

Laurus nobilis disse...

Sim este fenómeno do vinho novo nesta região é realmente um mistério, já que o vinho não presta para nada... é um bocado como o Mateus Rosé, embora em relação a este só a marca é que conta e portanto não promova nenhuma região; o Alentejo também ganhou alguma fama, mas as iniciativas são desgarradas e a luta entre marcas neste momento é bastante grande. É pena... Portanto, só nos resta celebrar o 15 de Novembro com um qualquer dos excelentes vinhos portugueses que existem... velho ou novo!!!

nautilus disse...

Não é bem não prestar para nada. Bebe-se. Já andei por lá a provar vinhos e havia uns bonzinhos.

Mas é extraordinário que pelo menos até ao princípio de Dezembro haja destes quadros a anunciar o "Beaujolais Nouveau" em (quase) todos os cafés e bistrots de Paris

garina do mar disse...

há uns anos li uns livros engraçados passados numa aldeiazinha do Beaujolais... onde ao fim de não sei quantos anos a "viverem" o vinho, descobriram umas fontes termais!!! imaginem o drama ;)

mas é verdade que bem podíamos promover melhor os nossos vinhos!! há 2 dias jantei com uns franceses que só conheciam o vinho verde!?!

gira esta geringonça... para que serve?

joao veiga disse...

Há na Bairrada, há algum tempo, alguns produtores que, aproveitando o solo e o clima magnificos para a pinga, deixaram as castas da região, agrestes, e cultivaram outras, mais suaves, que dão cá uma ramada, chiba, cabra, de se lhe tirar o chapeu.
Acrescente-se que as castas bairradinas, agrestes e ricas em taninos, se não malharmos nos anos mais novitos e conseguirmos aguentar a pinga uns 7 a 10 anitos, se forem de anos de boa colheita, ganham aquela cor 'casca de cebola' e chegam a excelentes, EXCELENTES, repito.
O problema é aguentarmos as garrafitas intactas aqueles anos todos. Da minha parte tenho sempre algumas guardadas, para uma doença. O drama é que estou muitas vezes doente.

garina do mar disse...

ah pois... a saúde acima de tudo!!

Swt disse...

O vinho velho não deve ser saudável. Digo eu, porque o meu organismo não o tolera.Já o vinho novo sinto as suas capacidades oxidantes. Vão por mim que sou uma mecinha muito sensível

BLUE MOON I disse...

Nunca consegui guardar vinho; Ainda n�o "pecebi" porqu�....
Comigo n�o � a falta de sa�de, n�o sei

Anónimo disse...

A França hoje está em alta!Vinho francês!Ora aqui está um tema que eu nunca pensei encontrar neste blog!O nosso vinho felizmente tambem está em alta no exterior!O mercado Americano está a descobrir-lo e apesar do nosso markting não ser tão agressivo como o francês e as nossas campanhas serem mais "softs" o vinho Português está a conseguir impor-se pela sua qualidade e a surpreender os sobrinhos do Tio Sam!O mercado Japonés tambem descobriu os nossos vinhos e lá tambem estamos a ter sucesso!O Francês que jantou contigo e só conhecia o vinho verde de certeza que não é um grande apreciador de vinhos!JC.

A VER NAVIOS disse...

Meus senhores:
No próximo ano vão ter no mercado um vinho da 2ª vindima de uma vinha nova,no coração da Bairrada, a Quinta dos Abibes.
É um vinho de classe superior, com várias castas nacionais e francesas.
Depois dirão algo.
A 1ª colheita não foi comercializada para ficar como histórica, mas concorreu a provas de vinho "cegas" recebendo uma medalha de prata.

Laurus nobilis disse...

Caro A VER NAVIOS, fico à espera da comercialização da 2ª colheita! Parabéns pela prata!

garina do mar disse...

ah mas eu quero uma garrafinha da tal colheita histórica!!! prometo que depois compro umas da 2ª ;)

JC, a questão é que pelos vistos em França ainda há onde se venda vinho verde mas do outro não... provavelmente com medo da concorrência eheheh!!!!!!! pelo menos há 4 anos estive num supermercado por lá e não encontrei nada...
além disso, penso que o tema que o Nautilus trouxe aqui não é o vinho francês! mas sim, porque é que~não temos campanhas como as deles

vinho velho? tenho aí umas garrafas!! com ar de serem tão boas que ainda não encontrei justificação para as gastar ;)

nautilus disse...

Caro JC
Os temas deste blog são muitos e variáveis, no limite serão mesmo infinitos. Normalmente tentamos valorizar Portugal e o Mar em geral, mas como consta do nosso "nome", Milhas Náuticas são "uma das formas de medir o Mundo", ou seja, podemos aplicar o "compasso" a qualquer assunto :)
Neste caso apenas me limitei a identificar uma ideia que, até é bem sucedida lá fora, e acredito que poderia ter sucesso em Portugal.

Caro A Ver Navios
Os maiores sucessos para a Quinta dos Abibes (que como diria a Miúda são aves e não pássaros :))

Anónimo disse...

Quanto a vinhos o melhor é beberemnos porque a problemática Mundial do vinho está bem longe de alguns dos comentários aqui feitos.
Beaujolais Nouveau é um dos primeiros actos Europeus de marketing bem sucedido e que perdura. A nivel Mundial o Mateus Rosé é a marca de vinho mais bem sucedida de sempre e continua. Quanto à Bairrada,estão agora a aparecer no mercado os Bairradas da Nova Geração que irão surpreender quem os provar.Atrevo-me a referir Colinas de S.Lourenço e Campolargo. Mas há outros.
Os vinhos não são para guardar,são para beber.
Sugiro que entrem numa das lojas WINE O`CLOCK ( Aveiro,Matosinhos,Lisboa) e comprem uns vinhos do Chile,Argentina,California,Australia,Nova Zelandia,Africa do Sul para já não falar de Espanha ,Italia França. Façam uma prova com as garrafas embrulhadas em jornal e a que dão um numero. Escrevam as vossas impressões e só depois tirem o jornal. Vão ter surpresas.

Abraço
Zurk

Anónimo disse...

Ena pá, não se pode falar em vinho. Vejam a quantidade de "bocas"....Só um assunto destes motiveria tanta gente...

BLUE MOON I disse...

Vinho e "gaijas"; Desde sempre.
Fatal. Como no futebol!
Se calhar até em areas menos nobres, mas enfim...