03 setembro 2006

A minha estreia nos mergulhos nocturnos

ao fim de quase 18 anos a mergulhar! Confesso que olhar para a água escura me assusta um bocadinho... não se sabe o que pode estar por ali escondido... que seres estranhos podem surgir das profundezas!!
Quando chegamos a Sesimbra até parece que vamos para um mergulho normal… ainda é de dia quando nos começamos a equipar... está menos calor apesar do vento quente... aparelhar a garrafa, regulador, colete, começar a vestir, preparar a máquina para ir para debaixo de água, o briefing e entretanto ficou noite!
entramos no barco... garrafa, cinto de chumbos, barbatanas, lanternas (a normal e uma de reserva), luz de posição, máscara e tubo, máquina fotográfica, parece que não me esqueci de nada... mal saímos do porto é logo preciso vestir o casaco do fato, falta o sol para nos aquecer e os salpicos que durante o dia até ajudam a refrescar a esta hora já provocam arrepios.. e olhar para aquela água tão escura (o sol levou com ele o “azul do mar de Sesimbra”) também não ajuda... mas as falésias estão iluminadas e há um rasto de luar sobre a água, afinal a lua cheia é já daqui a 5 dias!

6 comentários:

s.o.s. disse...

Graina do Mar
não puseram cor na água,
para o mar ter a do céu.
o atlãntico ontem tinha cor de lua e estrelas.
Eu sei porque afinal só chegámos eu e o João, á Moita ás 09.30 hoje dia 3. Esteve uma noite daquelas em que ligaramm todas as estrelas mal a lua se pôs.

s.o.s. disse...

desculpe: Garina do Mar...tenho mãos grandes de mais para o teclado...desculpe

garina do mar disse...

bem que podia estar à janela a ver se vos via voltar... mas o mar estava lindo... para ir lá para dentro é que aquela cor faz impressão!

s.o.s. disse...

pois deve ser...aquela coisa de andar no escuro...flutuar no escuro ainda crescenta mais...desconfiança e desconforto...mas, pelos vistos foi só até o espectáculo começar...

s.o.s. disse...

nós passámos junto a terra por altura de Paço de Arcos aí pelas oito e meia da noite com muito bom vento. Quando chegámos frente a Belém o vento morreu muito. Quando chegámos em frente á cidade a meio do mar da palha acabou-se o vento. e o motor de fora de borda entrou em greve,o facto é que também não tinhamos vontade de ir a lado nenhum. Ficámos então entregues a uma vida demorada.Tinhamos uns pãpezinhos e uns travesseiros que a Sailor Mom(bem-haja grande) tinha arranjado e fomos andandando com a maré e em frente ao Seixal voltou o vento pelas dez e meia. Entrámos na baía, à base aérea do Montijo e acabou-se o vento. Decidimos sem hesitar que já era tarde para entrar com a maré na Moita às onze e meia... e, como agora dizem... prontos...que só tinhamos água para entrar ás nove e meia. Mas o céu esteve em festa a noite passada... acenderam as luzes todas para a "Ana Paula".

garina do mar disse...

eheheh.. um motor que avaria é uma ganda desculpa para passar uma noite "à la belle étoile"!