17 abril 2007

Monte Santa Tegra

Mesmo em frente a Caminha, do outro lado do Rio Minho, existe um monte a que chamam de Santa Tegra...

A influência Celta

A Guarda

A foz do Rio Minho...

Castro de S. Tegra (1600/1500 a.C.)

Homenagem à Póvoa de Vazim e às suas gentes (marcas poveiras)

9 comentários:

voz do vento disse...

Lindo e místico. Digno da Galiza!

nautilus disse...

Vale mesmo a pena subir a Santa Trega. Lá, sentimos que estamos num lugar diferente, onde existe algo que nos rodeia, mas que não se vê. Deve ter a ver com a magia que se sente em inúmeros lugares na Galiza e no Norte de Portugal.

Laurus nobilis disse...

Não duvides, Nautilus...

Eugénio disse...

Este fim de semana vou até Baiona com o Veiguinha, e lá passaremos ao largo da foz do Minho e da Guarda.

morgane the fairy disse...

Passei por aqui em tempos idos... Talvez há umas centenas de anos.. As casas eram as mesmas, quantas vezes me sentei na borda da muralha a olhar para o mar e para o rio.. mas havia mais areia, por vezes íamos a pé até à ínsua...
Só não havia o porto de A Guarda, as barcas varavam na praia. Nem os hieróglifos dos pescadores, mas por certo copiaram-nos da escrita dessa altura.

Laurus nobilis disse...

Por mar, também deve ser um passeio bem bonito!

Cara Morgane, és uma privilegiada: se a paisagem é agora incrível, como seria nessa altura, sem nehumas construções...

garina do mar disse...

tão lindo!! o ano passado tentei ir lá mas não se podia.. quer dizer, podia-se subir a pé!! talvez vá por lá este Verão..

garina do mar disse...

tenho uns livros sobre a Póvoa em que mostram e explicam as sinalefas dos barcos.. vou ver se identifico algumas!!

Eli disse...

Lindo! No pico podemos sentir que a terra é mesmo redonda e ver a imensidão do mar que nos rodeia.
As bruxinhas dão um sentido mistico ao monte. E a travessia por ferry boat mostra uma curta e deliciosa distancia entre os dois paises!