23 janeiro 2008

Portas de Ródão

16 comentários:

garina do mar disse...

espectacular!!! este sítio é mesnmo um "monumento"!!
só faltam os grifos...

Laurus nobilis disse...

Pois... mas por acaso lembro-me que, quando tirei esta fotografia, havia uma águia a sobrevoar a zona! É realmente um sítio fantástico!!

garina do mar disse...

uma águia?
se calhar era um grifo ;)

Laurus nobilis disse...

Era mesmo uma águia...

garina do mar disse...

seria muito pouco provável...
quem te disse que era uma águia?

Laurus nobilis disse...

Um autóctone com quem conversava, para além de a mim também me parecer que era uma águia, embora a altitude a que voava fosse grandita...

garina do mar disse...

muito bem... não te sabia especialista em avifauna!! eu não consigo distinguir uma águia de um grifo se estiverem a alguma distância...
e tiveste sorte porque por ali deve ser muito raro aparecer uma águia!!

Swt disse...

Desta zona gosto muito.

nautilus disse...

Um belíssimo enquadramento São extraordinárias estas cristas quartzíticas? que estrangulam o rio Tejo.

E para quem tem andado entretido a espreitar na web os grifos e o abutre de Ruppell é precisamente nestas escarpas que eles estão. E vale a pena fazer um passeio até lá: aqui nidifica a maior colónia de grifos do país e é interessantíssimo, sobretudo nesta altura vê-los a evoluir em cerimónias de acasalamento ou simplesmente à procura de comida.

navegante disse...

Lindo, este nosso Tejo...

A VER NAVIOS disse...

Já cá não vinha há algum tempo.
Sempre fascinado com imagens tão bonitas e tanta informação.

sara disse...

Esta foto fez-me lembrar umas latas de azeite que havia há uns bons anitos atrás...que (salvo erro) tinham esta imagem nas mesmas!

Laurus nobilis disse...

SWT, nós por cá também. É uma zona a visitar sem dúvida nenhuma!

Ó Navegante, o Tejo, é o Tejo! Não é um rio qualquer!

Caro a Ver Navios, é sempre um prazer vê-lo por cá!

Sara, lembro-me das latas e penso que, recentemente, as vi algures por aí à venda. Vou investigar.

Laurus nobilis disse...

Ó Nautilus, aquele estrangulamento do rio faz-nos querer ir mais além, não é? O rio estreita, estreita e depois abre... deve ser engraçado fazer a "passagem" de barco, caso seja possível!

nautilus disse...

Lembro-me de ouvir dizer na escola que o Tejo era navegável até às portas de Ródão. Deviam referir-se à navegação comercial. Agora nem isso porque as barragens que existem não têm eclusas e o rio está bastante assoreado.
Mas há uns barquinhos que fazem passeios por aqui, até para ver a avifauna.
E deve ser como dizes, passam-se as portas e abre-se o Mundo.

garina do mar disse...

li agora no "blog dos grifos" que são mesmo cristas quartzíticas!!