11 novembro 2007

Um "mar" de castanhas

Não sei muito bem porque é que o São Martinho está associado às castanhas!?! Se calhar era o que estava à mão para festejar a acção do Santo. Coitado, não teve muita sorte, nem um vinho como deve ser lhe arranjaram.
Para quem, como eu, não acha graça às castanhas (e menos ainda à água pé!), deixo aqui outro tipo de castanhas, as de cajú, que são uma verdadeira delícia (sobretudo torradinhas com sal grosso!!)

18 comentários:

swt disse...

Eu gosto muito de castanhas de caju, mas sem sal.

Laurus nobilis disse...

Pois eu gosto muito de castanhas, de quase todas as maneiras... lombo de porco assado, com puré de maçã e umas castanhas a acompanhar, ou comprar castanhas assadas na rua aos vendedores, faz parte do imaginário colectivo da "metrópole"...

Laurus nobilis disse...

Já agora, também gosto de castanhas de caju torradas com muito sal grosso; trouxeram-me umas de Moçambique há pouco tempo e, realmente, ficaram fantásticas!

garina do mar disse...

;)
esqueceste-te do javali assado com pu'é de castanhas!!

Laurus nobilis disse...

Sim... e o javali assado com pu'é de castanhas, imprescindível em qualquer ementa elaborada com bom gosto!

Eugénio disse...

castanha! o que é nosso é bom.
quando fomos à Ribeira no outro dia, sentados na esplanada a bebericar cerveja e a comer castanhas feitas na hora por uma tripeira de gema.

Mas se vcs pegarem num lombo de porco, e o deixarem marinar em vinho branco com 2 cabeças de alho esmagadas, uma folha de louro, sal, banha de porco, pimenta e tomilho.... e depois acenderem o forno de lenha e lá metrem o lombo dentro duma pingadeira.... e se entretanto passarem as castanhas com um golpe por azeite numa frigideira só para estalarem e serem fáceis de descascar.... e se pegarem nessas castanhas e juntarem à carne assada, e meter tudo outra vez no forno por mais uma hora.... divinal!!!!!

garina do mar disse...

parece-me uma receita deliciosa...
mesmo sem a componente das castanhas!!
;)
mas afinal até agora ninguém me soube dizer o que é que as castanhas têm a ver com o São Martinho!!

nautilus disse...

Não desgosto das castanhas de cajú, torradinhas com sal :)
Mas confesso que a receita do Eugénio me tentou. Falta-me é o forno de lenha, será que num normal também resulta?
Quanto ao São Martinho, não faço ideia Miúda. Ele era de Tours (e romano de origem), não sei se haveria castanhas na terra dele.

BLUE MOON I disse...

Ora o Eugénio, sim senhor....
Se bem que não sendo novidade nova...
Castanhas fritas em azeite...
Tou nessa.
E claro num forno qualquer.
O javali com a festança é a seguir....

nautilus disse...

Teremos de experimentar

joao veiga disse...

O Bolha confunde o Mercado do Bolhão com o Farol de Montedor, mas, honra lhe seja feita, é o segundo melhor cozinheiro que eu conheço.
(O primeiro a modéstia impede-me de dzer quem é)

Marieke disse...

Acerca do assunto, escreve o conceituado etnólogo Ernesto Veiga de Oliveira (1910-1990) o seguinte: «O S. Martinho, como o dia de Todos os Santos, é também uma ocasião de magustos, o que parece relacioná-lo originariamente com o culto dos mortos (como as celebrações de Todos os Santos e Fiéis Defuntos). Mas ele é hoje sobretudo a festa do vinho, a data em que se inaugura o vinho novo, se atestam as pipas, celebrada em muitas partes com procissões de bêbados de licenciosidade autorizada, parodiando cortejos religiosos em versão báquica, que entram nas adegas, bebem e brincam livremente e são a glorificação das figuras destacadas da bebedice local constituída em burlescas irmandades. Por vezes uma dos homens, outra das mulheres, em alguns casos a celebração fracciona-se em dois dias: o de S. Martinho para os homens e o de Santa Bebiana para as mulheres (Beira Baixa). As pessoas dão aos festeiros. vinho e castanhas. O S. Martinho é também ocasião de matança de porco.» (in As Festas. Passeio pelo calendário, Fundação Calouste Gulbenkian, 1987)

Marieke disse...

Para completar e sobre o assunto da relação entre o S. Martinho e as castanhas é tão só....
O facto de o seu dia coincidir com a época do ano em que se celebra o culto dos antepassados e com a altura do calendário rural em que terminam os trabalhos agrícolas e se começa a usufruir das colheitas (do vinho, dos frutos, dos animais)

Laurus nobilis disse...

Pela minha parte, fiquei esclarecido! Obrigado!

garina do mar disse...

pois... eu não!! ou seja... a relação é nenhuma!!!!

de qualquer maneira, obrigada pelo esforço!! afinal foi a única pessoa que tentou ;)

BLUE MOON I disse...

Também não; Que o S. Martinho é mais bêbado que o S. Paio da Torreia, ainda vai ter de suar para o provar....
Que as castanhas se dão com ele, e nao com outro.....
Ou nozes, também as há, nessas datas.
Eu cá digo que fazia falta mais um dia para os copos....
Agora as cachopas também malharem À rija.....

garina do mar disse...

mais uma desculpa para os copos acho bem... mas... água-pé?????????

A VER NAVIOS disse...

Muito obrigado por todas estas explicações.
Tem de ser salientada a receita do Eugénio, que por acaso já conhecia e se o lombo do porco tiver a costela agarrada ainda melhor.
Cá em casa faz-se em forno de lenha e aproveita-se tb para assar um cabritinho de leite.
As castanhas são para a família.
Para mim castanhas de caju, com sal ou sem sal, tanto faz.