13 julho 2011

Castro de S. Lourenço II

O Castro de S. Lourenço fica situado no concelho de Esposende e tem as suas raízes no final da idade do Bronze ou seja, cerca de mil anos antes de Cristo.
As escavações arqueológicas, com carácter sistemático, tiveram início a partir de 1985, após algumas destruições provocadas por trabalhos numa pedreira próxima.
Várias casas foram restauradas e, em cada campanha arqueológica, para além das escavações, têm existido sempre trabalhos de consolidação e restauro de estruturas.
Foi construído num dos imponentes afloramentos graníticos que compõem a região e que ladeiam a faixa litoral. A vista, é magnífica!

5 comentários:

garina do mar disse...

olha! olha!! finalmente decidiste-te a ir visitar São Lourenço...
não deste com a "minha casa"? aquela onde eu vivi há uns séculos atrás?
a vista continua bonita ;)

Viriato disse...

Era uma fortaleza formidável; juntamente com os outros povoados ao longo da costa, até Santa Tegra, demos que fazer a muito boa gente...

Laurus nobilis disse...

A estrada continua lá e a vista também... Foi pena o tempo porque chovia bastante, mas o castro está bastante bem tratado, embora a parte das escavações propriamente dita, parecesse algo "desleixada".

Viriato, tens toda a razão; estamos a falar de uma verdadeira "muralha" de povoações e fortalezas que dominava a região a partir das cumeadas destas elevações de terreno junto à costa. Entre outros castros, Terroso de que já aqui falámos, também fazia parte.

nautilus disse...

Muito bem. Finalmente!
De facto o tempo não parece estar famoso mas ainda conseguiste fotografar a vista.
Quanto às escavações só são feitas na altura das férias: alguns professores de arqueologia e uma série de alunos da faculdade e outros das escolas do concelho (tal como em Terroso) vêm trabalhar nas escavações. Suponho que neste momento o balneário já esteja, pelo menos parcialmente, descoberto. Quanto à tal "muralha" é bem mais extensa do que parece...

Navegante disse...

Soberba vista! De locais como este, controlavam todos os movimentos num imenso raio à sua volta. Definitivamente, sabiam o que estavam a fazer!