17 abril 2011

Calçada de Alpajares


Acompanha, a diversos níveis, a ribeira de Mosteiro, mostrando encostas de xisto pontuadas de giesta, e paredes, também de xisto, onde a água escorre alimentando os líquens.
Passa junto à ribeira que corre célere por entre as pedras,
sobe até cumeadas onde "gigantes" construíram muralhas de pedra
e mostra-nos arcos de pedra, dobrados unicamente pela força da natureza.

5 comentários:

nautilus disse...

Que belas imagens! A Natureza consegue-nos surpreender, tanto pela variedade de cores como pelas formas que cria.
Um artigo muito apropriado dado que hoje é o Dia Internacional dos Monumentos e dos Sítios que este ano tem o tema "Água: cultura e património": esta ribeira é um bom exemplo.

garina do mar disse...

não me lembrei do dia dos Monumentos :(
senão tinha publicado isto hoje!!! até porque tens razão, está apropriado...

Laurus nobilis disse...

A natureza nunca parará de me surpreender... A última fotografia é impressionante!

garina do mar disse...

naquela zona há vários "casos" destes!! impressionantes mesmo...

Voz do Vento disse...

Muito artística, a cascata! Realmente, só mesmo gigantes ou a natureza têm poder para tal muralha, ainda por cima na cumeada... Há cada coisa mais estranha...