08 maio 2009

Parque Nacional Peneda-Gerês

O Parque Nacional da Peneda-Gerês foi criado a 8 de Maio de 1971, tornando-se no único Parque Nacional existente em Portugal. Ocupa uma área com cerca de 72.000 ha e, apesar dos altos e baixos, continua a ser um verdadeiro ex-líbris nacional. No Milhas Náuticas, não podíamos deixar de assinalar mais este aniversário!

11 comentários:

Voz do Vento disse...

Merece ser assinalado!

nautilus disse...

É verdade Voz do Vento.
É um dos meus locais de visita favoritos :)
E este ano estou em falta.

Que lindas árvores!

Navegante disse...

Também já não passo por lá há muito tempo. Gosto dos líquenes!

garina do mar disse...

que árvores tão giras!!!
fizeste bem em lembrar ;)
sabes que no Gerês há muitos laurus nobilis?

Laurus nobilis disse...

Estes bosques de carvalhos cheios de líquenes são espectaculares! Ao mesmo tempo bonitos e misteriosos... Sim! Por aqui existem muitos primos... Somos uma grande e alegre família!

Dylan disse...

Talvez fosse tempo de declarar outros espaços em Portugal como Parques Nacionais. Lembrei-me agora do Açor, Montesinho, Arrábida e Gralheira.

Abraço.

garina do mar disse...

para qualquer dessas áreas ser Parque Nacional teria que cumprir critérios que nenhuma das que refere cumpre!!! excepto o PNPG... e, eventualmente! a RNET se fosse alargada para a área da ZPE...
e a Gralheira é só Rede Natura, nem sequer está classificada como área protegida!!

Laurus nobilis disse...

É sobretudo necessário não banalizar o conceito de parque nacional... Com o que temos, já são mais os "baixos" que os "altos" e o "abandalhamento" é evidente em alguns lugares, no entanto e apesar de tudo, minoritários. Isso, não impede, que se tentem encontrar outras formas de preservação para outros locais. Montesinho é um exemplo mais ou menos conseguido disso mesmo.

garina do mar disse...

não é uma questão de conceito... mas sim de características!! Montesinho, por exemplo tem demasiada intervenção humana para poder ser Parque Nacional... e não quer dizer que essa intervenção humana é má, antes pelo contrário... para conservar a biodiversidade, em grande parte dos casos, é necessário que haja maneio: cultivo, pastoreio, limpeza de florestas, etc....

Laurus nobilis disse...

Claro! Expressei-me mal... Quando me referi ao conceito de parque nacional, estava a pensar nas carecterísticas que levaram ao conceito em si mesmo e que, de maneira nenhuma, devem ser alteradas e/ou alargadas, somente para que haja mais locais a poderem ser parques nacionais... Se assim não fôr, corremos o tal risco de banalização!

garina do mar disse...

até porque dava muito trabalho... já viste o que era ter que renaturalizar uma área enorme?!?
para além de ser duvidoso que aumentasse o valor do ponto de vista da conservação...