22 Agosto 2007

Reserva Natural das Lagoas de Santo André e da Sancha

Foi criada há 7 anos, pelo Decreto Regulamentar 10/2000 de 22 de Agosto, com o objectivo de "proteger o sistema lagunar costeiro e os seus componentes ecológicos, ictiológicos, botânicos e ornitológicos. O estatuto de protecção visa também a protecção do complexo dunar envolvente e da faixa marítima adjacente que alberga uma fauna marinha característica."

A reserva inclui um cordão dunar bem desenvolvido e estabilizado,
charcos intradunares com vegetação associada bem desenvolvida (em cima o "poço do Barbarroxa de baixo")
e lagoas costeiras (em baixo a Lagoa de Santo André).







É um importante ponto de passagem e invernada de aves migradoras, incluindo os patos.
Foram já registadas 54 espécies de peixes marinhos, de água doce e migradores, destacando-se a enguia, o robalo e a dourada, 12 espécies de anfíbios, 14 de répteis, 29 de mamíferos, 344 invertebrados aquáticos, 205 espécies de borboletas e 241 espécies de aves incluindo a garça-vermelha, o pato-de-bico-vermelho, o caimão e a andorinha-do-mar-anã.
A flora inclui 488 espécies de plantas distribuidas em 79 famílias, destacando-se a vegetação típica dos complexos dunares.

Na reserva existe uma quinta - o Monte do Paio - que recebe grupos para visitação e educação ambiental e onde no Verão fazem arraiais e "vendas" dos produtos que os miúdos fizeram por lá.



E podem-se fazer uns percursos espectaculares com vista para as dunas e o mar.
É também espectacular a abertura ao mar da Lagoa de Santo André que tem lugar todos os anos na Primavera.
Para saber mais veja o Portal do ICNB.
E uma curiosidade: quando foi a passagem do milénio, alguém resolveu "escrever", com chorão, uma "oração" do lado exterior da duna. Não sei se ainda lá está mas vê-se no Google Earth!

16 comentários:

Laurus nobilis disse...

A Lagoa de Santo André é fantástica; estive lá agora e são milhares as aves que por lá andam. Amanhã ou depois ponho fotografias. A da Sancha não conheço. Fica para uma próxima volta por estes lados...

garina do mar disse...

não perdeste muito!! Santo André é bastante mais interessante...

nautilus disse...

Mas afinal são patos ou anatídeos?

Ando eu a esforçar-me por aprender uns termos especiais e voltas à "linguagem corrente"?

Laurus nobilis disse...

Patos, caro Nautilus, patos!!!

nautilus disse...

Desculpa? A Miúda em São Jacinto diz que são anatídeos; aqui diz que são patos. Não dá para entender.
Será que têm nomes diferentes no Norte e no Sul?

Laurus nobilis disse...

Patos, toda a gente percebe... os do Norte e os do Sul!

nautilus disse...

E os anatídeos então são o que?

Laurus nobilis disse...

São Patos!!!

garina do mar disse...

pois...
anatídeos são assim uns patos mais pro intelectual!!!

nautilus disse...

Ah!

BLUE MOON I disse...

Coitados dos patos....

garina do mar disse...

coitados? estes aqui até têm uma boa vida... comidinha com fartura e estão protegidos de levar um tiro!!

JM Ferreira de Almeida disse...

Um ataque de nostalgia estas excursões às áreas protegidas, Garina do Mar?
Venham mais, que informação e divulgação são coisas que faltam, entre muitas outras, à franciscana pobreza das actuais politicas de conservação in situ.

garina do mar disse...

pois é... por aqui vamos divulgando o que é "nosso"!! e que vale a pena

e nas áreas protegidas vamos aproveitando a "desculpa" do aniversário

garina do mar disse...

engraçado... o Plano de Ordenamento foi publicado no dia 23! deviam querer que fosse "prenda de anos" mas atrasaram-se...

Antonio Cruz disse...

A zona de reserva é extraordinaria, infelizmente tem muitos trilhos feitos pelos jeep e motos e a sinalização é muito deficiente.É necessario ter muita atenção aos trilhos porque não estão assinalados e quando se encontra um cruzamento verificamos que existe uma tabuleta a informar que o trilho de onde vimos não se pode circular com veiculos, É NECESSARIO QUE AS ENTIDADES RESPONSAVEIS TENHAM MAIS ATENÇÃO A ESTA SITUAÇÃO DA SINALIZAÇÃO PORQUE AO DAR UM PASSEIO PARA OBSERVAR A NATUREZA PODEMOS ESTAR A DESTRUIR SEM SABER, OU A TER PROBLEMAS COM AS AUTORIDADES.