08 janeiro 2010

Um passeio na Bretanha: Le Conquet

Com um glorioso passado marítimo, Le Conquet (o número 11) é um dos principais portos de pesca do Finisterra, famoso pelos seus crustáceos e peixes de qualidade (aqui é um dos tais sítios onde os tourteaux são uma especialidade).
São também muito interessantes as casas "à inglesa", as ruas estreitas, as pequenas praças e os muros de pedra que caracterizam o porto, bem como o aber que serve de lugar de abrigo a inúmeras embarcações de pesca e de recreio.
Na ponta de Kermorvan, que limita por norte o aber de Le Conquet, localiza-se o farol do mesmo nome, construído em 1849. Em 1874, devido aos nevoeiros da zona, foi complementado por um "sino de ondas", accionado pela ondulação mas que era pouco audível nalgumas condições de mau tempo.
(em cima: a ponta de Kermorvan vista da abadia de Saint Mathieu)
O farol está apenas 2 m acima do nível do mar!
Em 1944, quando as tropas alemãs destruíram os assinalamentos luminosos das costas francesas, o farol foi um dos poucos a ser salvo graças ao engenheiro Wiedermann, também alemão, que sugeriu que apenas fossem retirados os sistemas de iluminação.
Em 1994 foi automatizado e é telecontrolado a partir de Brest.
A norte da península de Kermorvan localiza-se a ponta de Corsen, o ponto mais ocidental da França metropolitana (sem contar com as ilhas).

7 comentários:

Laurus nobilis disse...

Mesmo em tempo de guerra, há quem tenha bom senso. Pelos vistos, o Engº Wiedermann teve-o! Que raio de mania de destruirem tudo, se o que é suposto é somente vencer os "humanos" do lado contrário...

nautilus disse...

Está visto que um dia destes vou ter que ir provar os tourteaux :)
É muito bonito o farol à beirinha da água. Ainda bem que não foi destruído.

Navegante disse...

A enseada parece mesmo "simpática" para fundear...

garina do mar disse...

eles destruíam porque queriam apagar as luzes!!! coitados eram um bocado ignorantes, não sabiam procurar o interruptor...

pois, Navegante, senão houvesse marés até era...

Voz do Vento disse...

Mas porquê? Claro que as marés existem...

garina do mar disse...

"porquê" o quê?

as marés impedem que a enseada seja "simpática para fundear"!!! dá para ver que metade dos barcos já estão encalhados... ou seja, como fundeadouro tem bastantes restrições!!!

Navegante disse...

Sim, isso dá para perceber pela foto mas, mesmo assim, parece uma enseada abrigada, o que deve dar jeito naquelas paragens.