01 dezembro 2008

Foi deposta a dinastia estrangeira…

"… E o grito de «Liberdade! Liberdade! Viva el-rei D. João IV» vai por Portugal além, alcança todo o Reino, acaba por chegar, triunfante, às províncias de além-mar…"
In "História de Portugal", segundo volume, de José Carlos Amado – Edição Verbo

9 comentários:

garina do mar disse...

grandes conjurados!!!!
viva a Independência de Portugal!!

voz do vento disse...

A boa nova correu depressa... Portugal é independente!!!

nautilus disse...

A minha homenagem aos senhores conjurados que souberam restituir Portugal aos Portugueses!

Marieke disse...

Pois sim senhora...Viva Portugal..e vivam os Povos Ibéricos

Laurus nobilis disse...

E as Nações Ibéricas que, não se tornando independentes, resistiram e resistem, sobretudo culturalmente, a Castela!!!

Galiza, Astúrias e Catalunha, aqui neste cantinho, não nos esquecemos de vós!

garina do mar disse...

porquê as ibéricas em especial? há por aí tantas que continuam à espera da independência!!
só se for para agradeceres à Catalunha ;)

Laurus nobilis disse...

Porque estamos a falar de Portugal e das nações que de alguma forma se opuseram a Castela ao longo dos séculos... Já agora, cometi a injustiça de não falar no País Basco, Euskadi, que desde sempre lutou pela sua individualidade enquanto Nação! Quanto à Catalunha, é um facto que lhe temos de agradecer ter contribuído indirectamente para a nossa independência...

Isto não quer dizer que não nos lembremos de outras, como a Escócia ou a Irlanda do Norte. A primeira já há muito que devia estar fora da alçada imperial britânica e a segunda, nunca devia ter sido separada da Irlanda no processo de independência, para ficar em mãos inglesas!

nautilus disse...

Os Portugueses (pelo menos os da época) deviam der muito bons. Afinal parece que foi o único povo que conseguiu recuperar a sua Independência.

Laurus nobilis disse...

Sim... definitivamente, os portugueses dessa época eram de outra têmpera!