01 abril 2008

Montemor-o-Novo

A primitiva ocupação humana de Montemor-o-Novo remonta a um castro, posteriormente romanizado, encontrando-se vestígios dessa época que indicam já a presença de uma fortificação. Séculos mais tarde, aquando da ocupação árabe da Península, foi construída nova edificação militar, conquistada pelas forças portuguesas sob o comando de D. Sancho I, que lhe concedeu foral em 1203.
A partir desta data, começam a ser construídas as muralhas do castelo medieval propriamente dito e, por iniciativa de D. Dinis, são realizadas grandes obras no ano de 1365. Ao longo de todo o século XV o castelo sofre constantes remodelações, adaptando-o às estratégias militares da altura. Este século e o seguinte foram, sem dúvida, a época de maior apogeu desta vila já que, à prosperidade trazida pelo comércio, se aliou o facto da corte permanecer largos períodos em Évora, promovendo a realização de acontecimentos políticos relevantes, como as cortes de 1496. D. Manuel I concedeu foral novo à vila em 1503 e, mais tarde, em 1563, sob o reinado de D. Sebastião, foi-lhe concedido o título de Vila Notável, dado que “era um lugar antigo e de grande povoação”.
Na guerra da Restauração, D. João IV reedificou as muralhas do castelo que, não só resistiram a inúmeras investidas castelhanas como, durante a Guerra Peninsular, resistiram às tropas napoleónicas de Junot.
Recentemente, procedeu-se a recuperação da chamada “Torre da Má Hora”, assim chamada porque, quando D. Afonso Henriques sitiou a povoação muçulmana de Montemor, uma noite, um soldado mouro esqueceu-se de trancar a porta que se vê na muralha, na base da torre, originando a tomada da cidade, embora temporariamente. Assim, este nome advém do facto desse mouro se ter esquecido da porta da torre aberta, permitindo a conquista da vila pelos cristãos.

14 comentários:

garina do mar disse...

já vim várias vezes a Montemor-o-Novo mas nunca fui visitar o castelo!!
o mal de Montemor é que acaba por "funcionar" como um local de passagem... e ainda por cima quando se passa parece que está mais destruído do que está na realidade!!

mas tenho que remediar a questão porque pelas fotos é mesmo muito bonito!!

Laurus nobilis disse...

É bonito e a parte que está meio "destruída" é a mais engraçada de se ver...

garina do mar disse...

aquela partezinha do "cocuruto" não é?

Laurus nobilis disse...

Sim, é essa mesmo.

almagrande disse...

Vim aqui ver as suas andanças pelo alentejo,mais uma vez belas fotografias.Os fieis agradecem.

nautilus disse...

Tens um belíssimo enquadramento na fotografia de cima.
E mais um castelo muito bem situado. Miúda, temos que combinar uma excursão a Montemor-o-Novo! Afinal não é assim tão longe e mais vale ir-se lá de propósito porque aproveitar a passagem é sempre mais complicado :)

Ricardo Cordeiro disse...

Excelente aula de história e excelentes fotos!

Laurus nobilis disse...

Realmente é um local bem simpático, mas efectivamente perde com o facto de ter Évora ali mesmo ao lado. Quanto às fotografias, o local também ajuda...

Eugénio disse...

Como se escreve Montemor segundo o novo acordo ortográfico? Montemoronovo?

Laurus nobilis disse...

Não faço a mais pequena ideia...

Bruno Martins disse...

Eu aposto em:
Montemor "o novo" ;)

garina do mar disse...

cá pra mim, a torre é que tem o nome errado!!!

Laurus nobilis disse...

Certo! Também concordo... o nome divia ser "Torre da Boa Hora"! Quanto ao Montemor "o novo" não vai poder ser. O rei D. Sebastião já disse que era um "lugar antigo"...

garina do mar disse...

mas o Montemor-o-Velho é mais antigo? nesse também só conheço o castelo por fora!! vou passar lá perto daqui a pouco...