05 março 2007

Na Ria de Aveiro...

Fotografias retiradas do Almanaque Bertrand de 1955

12 comentários:

Laurus nobilis disse...

Embora um bocado tortas, estas fotografias são dedicadas exclusivamente aos nossos amigos de Aveiro e arredores!

garina do mar disse...

ohh!!!! eu também queria... :(

garina do mar disse...

neste caso parece-me que são mais os nossos amigos de Ílhavo e arredores!!! ;)

A VER NAVIOS disse...

Lindas.
Tantos moliceiros que havia!
Mais uma dos bacalhoeiros e onde tb se vê o estaleiro Mónica. São sempre de recordar.
Hoje parece um deserto, sem navios, sem moliceiros, sem nada...
O que vê são camiões TIR a entrar para as "fábricas", já não há secas a "secar o peixinho ao tempo".

A VER NAVIOS disse...

Esta foto é anterior a 1951. A doca flutuante não está lá e não há nenhum navio-motor. Os primeiros navios-motor apareceram em Aveiro em 1945.

Laurus nobilis disse...

Caro "a ver navios" imaginei que Ílhavo e arredores ía gostar... recebi este espólio (muitos anos de almanaques da bertrand e do século) há pouco tempo e, só agora, comecei a dar-lhes uma vista de olhos. Tem coisas fabulosas... para apreciadores, claro! Um abraço

A VER NAVIOS disse...

Claro que ílhavo vai gostar!
Relembrar o passado é sempre bom.
Há muito boa gente (pessoas mais novas) para quem isto é novidade.
Por favor mostre o que tem. Eu tb mostrarei.
Um abr.
Obrigado.

garina do mar disse...

acho bem... são coisas lindas! e é um crime mantê-las escondidas

A VER NAVIOS disse...

Pela notícia que li no JN de ontem, a firma Pascoal é muito credível e por isso penso que fialmente se vai ver uma luz ao fundo do túnel.

garina do mar disse...

há um ano e picos estive com eles, Pascoal e Universidade e pareceram-me com ideias muito assentes sobre isso...

Eugénio disse...

Para além do preto e branco das fotos, dos lugres, há outra coisa que ressalta, que já não se vê hoje em dia: MOLIÇO num Moliceiro.

Laurus nobilis disse...

Caro Eugénio, moliço não me lembro de ver mas, aqui há cerca de 10 anos, fotografei, na praia do Mindelo, a secagem ao Sol de sargaço; é engraçado, porque a praia fica toda cheia de montículos; não sei se hoje em dia existe ainda naquela quantidade... um dia destes procuro as fotografias.