11 março 2007

(re)Construir uma duna

A sul da Apúlia, em Esposende, no Parque Natural do Litoral Norte, está a ser reconstruída a duna, numa praia que, até há pouco tempo, estava em processo de recuo.
Para isso foi colocada uma paliçada com um percurso sinuoso ao longo da praia.
A ideia é que as areias transportadas pelo vento fiquem retidas no interior da paliçada e que em seguida se comece a fixar vegetação dunar.
Parece estar a resultar: as paliçadas têm 1,5 m de altura; o 1º troço colocado já está totalmente preenchido, o 2º, colocado este Inverno, já vai pelo menos em metade, o que quer dizer que se conseguiu já subir o nível do areal em quase 2 metros!!

10 comentários:

Laurus nobilis disse...

Incrível! Não sabia que se faziam este tipo de intervenções em Portugal...

garina do mar disse...

o quê? só podes estar a brincar!!! a que praias vais tu?

Laurus nobilis disse...

A muitas, mas não me lembro de ver este tipo de estruturas... pelo menos para aquelas onde vou e que, reconheço, são todas mais para os lados do Sul do país...

garina do mar disse...

mas no Sul usa-se bastante... na costa Alentejana, na ria Formosa...

garina do mar disse...

dantes usavam-se umas paliçadas mais ligeiras, para evitar que as pessoas pisassem e para ajudar a fixar a vegetação.. agora tem-se usado estas também para reconstruir dunas e pelos vistos resulta bastante bem!!

nautilus disse...

Muito interessante. Já tinha visto coisas destas mas sempre pensei que a sua actuação se resumisse a evitar que as pessoas pisassem. Mas vendo isto percebe-se que pode funcionar de outra maneira: as paliçadas ao reduzirem, ou perturbarem, a velocidade do vento levam à deposição da areia. E pelos vistos eficazmente.

joao veiga disse...

Já vi construções destas há uns anos, na Barra e na Costa Nova, com excelentes resultados, as dunas foram reconstruidas.
Nas Landes também vi e lá as dunas tem dezenas de metros de altura e o Mar lá ainda é mais agreste.
Resta agora que não se autorize a construção, e o passeio, nas dunas, e se distinga essa actividade do que é a habitação ribeirinha nas marges da Ria.
Pois.

nautilus disse...

Viva João Veiga! Penso que o passeio nas dunas já é proibido há uns anos. Mas ninguém liga. Já tenho visto trilhos quase ao lado de passadiços de acesso à praia. E aí há 2 ou 3 anos, na Aberta Nova ao pé da Comporta, a zona vedada era o sítio predilecto para as criancinhas brincarem, sem que o concessionário da prais fizesse ou dissesse algo.

LisbonGirl disse...

A Aberta Nova é tão linda!

garina do mar disse...

as dunas das Landes são lindas!!! é engraçado que essa zona esteve para ser uma espécie de Algarve, vi um plano de urbanização daquilo, talvez dos anos 60, que era um disparate.. mas já (ou só..) em finais de 80, início de 90 refizeram o plano todo para proteger as dunas e o pinhal!!
por cá identificaram-se as zonas de risco (que incluem as 2 restingas da ria) mas ninguém liga! e depois anda-se a pôr pedra de uma maneira que só serve para piorar as coisas

na Aberta Nova estive aí umas duas ou três vezes.. na última tinha tanto cão e tanta beata na areia que nunca mais lá voltei.. mas eu não gosto de praia!!! tem areia!